Empresas aéreas de pequeno porte recorrem ao governo pedindo socorro

As empresas de aviação Passaredo, do interior de São Paulo, a MAP do Amazonas e a Brava do Rio Grande do Sul, oficializaram um pedido de ajuda ao Governo Federal.

As companhias estão operando com extremos prejuízos, especialmente por causa das altas do dólar e combustível, além do baixo índice de comercialização de passagens. 

De acordo com a direção das empresas, muitos trajetos já foram cortados e a situação tende a piorar. Uma das exigências é a participação no saturado Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, que opera em seu limite.

Os empresários também querem que haja a isenção de tarifas aeroportuárias e subsídios para os voos, com a garantia de quitação de parte dos bilhetes. Uma nova reunião deve acontecer no mês que vem. 

Comentários