CPTM investe nas linhas 7 e 8, e Lapa terá estação unificada

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) garante que olha com "carinho", suas linhas que ligam as zonas oeste e norte ao Centro de São Paulo. 

A Linha 7 – Rubi (Luz – Francisco Morato) e a 8 – Diamante (Julio Prestes – Itapevi) – possuem uma grande demanda diária e faz integrações com outras importantes linhas da própria CPTM e também do Metrô. 


Entre as novidades, pode-se destacar na Rubi, a reconstrução das estações de Francisco Morato, Franco da Rocha e Jaraguá, além da construção da futura parada em Vila Aurora (que terá elevadores e escada rolante), entre Jaraguá e Perus, atendendo especialmente os moradores de Cidade D’Abril, Jardim Ipanema, Vila Santa Lucrécia, Parque Nações Unidas e Residencial Voith. 

Ainda pela Linha 7, a estação Água Branca deve continuar com sua cancela, já que a CPTM afirma, que trata-se de um viário público para a transposição da linha que tem o equipamento, e não considera a mesma, uma cancela, porém a mesma será futuramente "ponto estratégico" para várias integrações aos usuários. 

Já a Diamante (que não possui mais trens antigos) – terá a estação Osasco ampliada e um trecho de seis quilômetros, entre Itapevi e Amador Bueno, será modernizado. 

Vale destacar que a parada Domingos de Moraes, na Vila Anastácio está sendo reformada. 

Mas a grande questão que envolve a CPTM nessa região são as duas estações da Lapa, que embora estejam no mesmo bairro, não se interligam. 

Há uma licitação atualmente, que visa à união de ambas. Totalmente acessível, a nova estação terá um belo entorno e seu investimento será de R$150 milhões, atendendo 120 mil pessoas diariamente. 

Além das panes técnicas (que muitas vezes são sabotagens), outro problema dos trens da CPTM, é o comércio de ambulantes. 

Proibida, a ação de vendas funciona especialmente em horários movimentados. A CPTM pede que os usuários não comprem esses produtos e também denunciem esses vendedores, através de SMS, telefonemas e internet. 

"Na condição de maior operadora ferroviária de transportes de passageiros da América Latina, a CPTM diariamente transporta mais de 2,6 milhões de paulistanos de diferentes regiões que se utilizam dos nossos trens para chegarem ao trabalho, à escola e à universidade e a tantos outros compromissos do dia-a-dia. Teremos a compra de mais trens, modernização do sistema e ampliação da rede", garantem membros da direção do órgão.

Comentários