Corrida de rua veio para ficar

Corrida de rua ou caminhada em ambientes privados, nos últimos anos passaram a fazer parte do calendário brasileiro, especialmente com provas aos sábados, domingos e feriados.

No geral, boa parte das caminhadas contam com uma quilometragem que varia entre 3, 4, 5 e 6 quilômetros. Já as corridas, são variadas com opções de 3, 4, 5, 8, 10, 15, 21, 25, 42, além dos percursos feitos por ultramaratonistas. 

Há corridas próximas de parques, dentro de parques, em clubes, no shopping, passando por viadutos, elevados, na orla da praia e nas principais avenidas do país. 

A verdade é que a corrida de rua se tornou uma paixão do brasileiro, tanto que provas como as maratonas e a São Silvestre, recebem uma presença gigantesca de participantes, além do público espectador. 

Normalmente, as provas ocorrem pela manhã, não atrapalhando a população em geral, já que existem vias alternativas e o público é informado com antecedência, já que faixas sempre estão fixadas pela região que o evento percorre. 

No geral, as provas são pagas, pois existe todo o kit do atleta, com camisetas, número de peito, chip, alimentos e bebidas, água durante o percurso, medalha pós prova - além de toda parte burocrática. 

Sempre há um limite na quantidade de inscrições para cada atividade, porém, o maior desafio hoje é lidar com corredores que não pagam suas inscrições, correm ao lado dos atletas que se inscreveram, consomem água que não pagaram e ainda causam tumulto, querendo uma medalha que não possuem direito. 

De acordo com Alessandro Zonzini, um dos diretores da SportsFuse - Marketing Esportivo, que organiza vários eventos, o universo das provas e corridas é diversificado e está em crescimento: "Hoje a corrida de rua se tornou um hábito de diversos brasileiros. Existem corridas dos mais variados tipos, desde percursos (terra, asfalto, pista de shopping, autódromo), estilos (corrida só para mulheres, corrida em locais temáticos como Beto Carreiro, Hopi Hari, corridas pets) e locais (rua, dentro de shoppings e parques). Quando a SportsFuse nasceu, o público de corrida de rua era seletivo, hoje podemos dizer que é bem eclético, particularmente acho ótimo, pois existe espaço e provas para todos os gostos", garante o executivo. 

"As vezes nos deparamos com pessoas dizendo que é fácil "montar" uma corrida de rua. Ledo engano, organizar um evento deste tipo requer uma equipe especializada, meses de estudos, pagamentos de diversas taxas (cada vez mais caras), e claro ter bons patrocinadores e apoiadores que acreditam na sua ideia. Hoje podemos falar que os eventos da SportsFuse são objeto de desejo dos participantes, pois o custo beneficio que oferecemos são excelentes. Adoramos criar eventos diferenciados (alguns copiados sem nos dar o menor crédito), adoramos locais novos para a prática da corrida e adoramos ver a satisfação dos nossos participantes, pois a SportsFuse realizam os eventos pensando neles, pois os participantes são as estrelas dos nossos eventos", diz Zonzini. 

"Ultimamente estamos vendo algumas ações contra os "pipocas". Infelizmente é uma realidade e um assunto que nós da SportsFuse não gostamos de entrar em questão, temos nossa metodologia de lidar com os pipocas, mas é uma metodologia interna e estudada para criar o menor impacto possível", finaliza Zonzini. 

Como jornalista que já cobriu provas variadas e que corre distâncias até 21 km, parabenizo todos os organizadores de corrida e caminhada. A única ressalva que faço é que em minha visão, toda prova deve exigir que os corredores corram com a camiseta oficial do evento. Vejo como algo que deixará qualquer evento ainda mais bonito, uniformizado.

Alguns momentos que registrei em corridas (Fotos: Renato Galvão)

Comentários

  1. Anônimo12:44

    Boa matéria, eu só acho que deveria ter corrida todo dia

    ResponderExcluir

Postar um comentário