O perigo dos viadutos e passarelas na região da Lapa

Uma questão ganha destaque na área da Subprefeitura da Lapa, zona oeste de São Paulo, há alguns anos. Devido o bairro ser dividido pela linha férrea, viadutos e passarelas se tornam as únicas opções para motoristas e pedestres respectivamente. 

Os viadutos da Lapa, Pompeia e Antártica são extremamente importantes para a população, mas a falta de segurança nos mesmos, especialmente para os pedestres é evidente e preocupante.

Além da sujeira, especialmente no Lapa, assaltos são comuns nesses locais, quase sempre ao entardecer. "Já fui assaltado, quando voltava do Mercado Municipal para a Lapa de Baixo. Os bandidos se comunicam por celulares e nos cercam dos dois lados. Como o tráfego é pesado na região, atravessar esses viadutos é praticamente impossível, e aí a ação criminosa é inevitável", afirma Julio Barros, morador do bairro.

A situação é ainda pior nas passarelas lapeanas. A mais problemática de todas é a segunda delas (sentido Centro) que liga a Rua do Curtume em suas duas partes, até o Poupatempo. 


Com uma grande escadaria, essa passarela é prática, pois funciona como um grande atalho. O problema é que os assaltantes também sabem disso e roubos são frequentes por lá. 

As principais vítimas são os trabalhadores que se apressam na travessia, para evitar maiores transtornos. "Sempre estou acompanhada quando passo na passarela, pois há muitos drogados em suas redondezas e já os vi roubando", afirma Nilce Martins, que trabalha na Rua do Curtume.

Apresentadas as questões a Prefeitura de São Paulo, a mesma garante que faz a limpeza e manutenção dos viadutos e passarelas da cidade, mas a segurança é controlada pela Polícia Militar.

Questionados, policiais militares que patrulham pelo bairro, afirmam que garantem a segurança de todos que circulam por essas áreas, parando suspeitos e prendendo os ladrões.

De qualquer forma, como cidadãos, queremos mais policiais nessas áreas, que muitas vezes, parecem sim, estarem 
extremamente desprotegidas.

Comentários