Libertadores da América 2.013

Antes de começar a escrever sobre a Copa Libertadores da América 2.013, que atualmente chama-se Copa Bridgestone Libertadores revelo que gosto de futebol, mas não aprecio, os campeonatos estaduais. 

Gosto apenas de bons torneios nacionais e internacionais, além das disputas variadas entre os países americanos, europeus, africanos entre outros.


Um dos atrativos da edição desse ano, é o fato do chamado "trio de ferro paulista" (São Paulo, Corinthians e Palmeiras) - participarem juntos esse ano, assim como aconteceu em 2.006, sendo que São Paulo e Palmeiras enfrentaram-se nas oitavas-de-final, com vitória são-paulina.

São oito grupos com quatro times cada. Os dois primeiros se classificam e enfrentam-se nos tradicionais jogos eliminatórios, com partidas de ida e volta - chegando até a desejada final, que garante vaga no Mundial de Clubes da FIFA, vencido pelo Corinthians no último ano.

O grupo 1 é composto de Barcelona, Boca Juniors, Nacional e Toluca. Como palpite, Boca Juniors, com seu futebol respeitável e o Nacional, devido sua tradição - garantem suas vagas.

O grupo 2 tem Libertad, Palmeiras, Sporting Cristal e Tigre. O paraguaio Libertad há anos mostra bom futebol no continente e deve se classificar. Pela história, aposto no Palmeiras - como segundo colocado do grupo.

O grupo 3 segue com os brasileiros Atlético Mineiro e São Paulo, além do The Strongest e Arsenal Sarandí. Entendo que as equipes do país, irão duelar pelas duas vagas.

O grupo 4 tem Peñarol, Vélez Sarsfield, Emelec e Deportes Iquique. O argentino Vélez fica com a primeira posição e a força uruguaia do Peñarol brigará com o futebol sem graça do Emelec, do Equador. Tomara que dê Peñarol, para o bem do futebol mundial.

O grupo 5 conta com o atual campeão da competição, Corinthians, acompanhado de Millonarios, San José e Tijuana. Fácil para o Corinthians, que deve se classificar sem dificuldades, e o colombiano Millonarios deve ser a segunda força. 

Já o grupo 6 terá Cerro Porteño, Tolima, Santa Fé e Real Atlético. Embora nunca tenha sido campeão da Libertadores, o paraguaio Cerro Porteño merece respeito e deve se classificar com facilidade. O Tolima, da Colômbia se garante como segundo.

Pelo sétimo, Universidad de Chile, pelo que vem apresentando nos últimos anos, se classifica em primeiro. Os famosos Olimpia e Newells Old Boys - irão duelar pela segunda posição e o Deportivo Lara, será um figurante.

E fechando, o grupo 8 também terá a presença de dois brasileiros. O forte Fluminense, que busca esse título inédito - fará duelos interessantes, com o já rodado Grêmio. Ambos irão ficar com as duas vagas, pois não vejo chances para Caracas e Huachipato. 

Comentários