30 setembro 2008

Sapatos docksiders

Os sapatos masculinos docksiders são os mais confortáveis do mundo. Maravilhosos, foram feitos para serem usados sem meia, porém, muitos usam com o acessório, mas não fica muito bem.
Eu os uso com bermuda e camiseta ou camisa pólo. Pode acrescentar um boné, que fica bom. As vezes uso com jeans e camiseta básica ou pólo, sempre para fora da calça.
A extinta marca Samello foi referência durante vários anos com seus modelos docksiders, das cores marrom, cinza e azul escuro. Fazia modelos para outras marcas como Via Veneto e Hugo Boss. Hoje quem faz belos modelos docksiders é a Zara.

Magnatas Bar

A Lapa é o paraíso dos bares e com toda a certeza o Magnatas Bar é um dos melhores do bairro. Território de happy-hour, a casa é aconchegante, com mesinhas para fora e durante a semana serve almoço. Ainda conta com telão para jogos, clube do uísque e a famosa tábua de frios.
Avenida Mercedes, 411, City Lapa, São Paulo, Tel. (11) 3832-7907.

25 setembro 2008

Fundação Maria Luisa e Oscar Americano

Talvez um dos ambientes mais agradáveis para um café no país inteiro. Com um jardim imponente, de quase 100 mil metros quadrados, a Fundação tem um nobre salão, de onde podemos avistar o belo jardim. Especializada em chás, a casa serve deliciosos brioches, sanduíches variados, sucos e muitos doces. Para facilitar a visita, eles trabalham com visita e aos domingos, ocorre o tradicional concerto de música erudita. O chá pelas manhãs está R$35 por pessoa.
Avenida Morumbi, 4.077, Morumbi, São Paulo, Tel. (11) 3742-0077,
www.fundacaooscaramericano.org.br.

Magazine Luiza estréia em São Paulo de forma enérgica

O Magazine Luiza chegou com tudo na Grande São Paulo e litoral, na última segunda-feira (22), com 44 lojas. Essas se somaram a outras 397, espalhadas pelo interior de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Goiás.
Os endereços são manjados, como Rua Teodoro Sampaio em Pinheiros, bairros como Vila Nova Cachoeirinha, Santana e Perus também ganharam suas unidades, cidades importantes como Guarulhos também, tudo para concorrer como Extra Eletro, Casas Bahia, Ponto Frio e outras.
A verdade é que a chegada do Magazine Luiza foi ótima, pois a guerra de preços está aberta e quem ganha com isso é o consumidor. As concorrentes estão abaixando o preço após o cliente, por exemplo falar e mostrar que viu uma televisão em tal valor. Sabendo disso, a concorrente abaixa seu preço, cobrindo a oferta. O Magazine Luiza já seduziu os clientes com as parcelas. No cartão de crédito a rede já cobre várias promoções em até 24 vezes. Só louco que aceita, pagar um produto durante dois anos.
No momento a ação publicitária do Magazine Luiza, presidida por Luiza Helena Trajano consiste em forte campanha publicitária, com Faustão, como garoto propaganda e ações na rua mesmo, com pipoca e algodão doce feito na hora para os clientes, nas portas das lojas, mas as concorrentes também fazem isso. Seja bem-vindo Magazine Luiza.

23 setembro 2008

Melhores bares de São Paulo na visão da revista Veja

Frangó (carta de cervejas)
Largo da Matriz de Nossa Senhora do Ó, 168, Freguesia do Ó, Tel. (11) 3932-4818.
Original (chope)
Rua Graúna, 137, Moema, Tel. (11) 5093-9486.
Bar da Dona Onça (cozinha)
Avenida Ipiranga, 200, lojas 27 e 29, Edifício Copan, Centro, Tel. (11) 3257-2016.
Mercearia São Pedro (boteco)
Rua Rodésia, 34, Vila Madalena, Tel. (11) 3815-7200.
Genial (fim de noite)
Rua Girassol, 374, Vila Madalena, Tel. (11) 3812-7442.
Pandoro (happy hour)
Avenida Cidade Jardim, 60, Jardim Europa, Tel. (11) 3063-1621.
Bourbon Street (música ao vivo)
Rua dos Chanés, 127, Moema, Tel. (11) 5095-6100.
Barreto (para ir a dois)
Rua Vitório Fasano, 88, Hotel Fasano, Jardim Paulista, Tel. (11) 3896-4000.
São Bento (para paquerar)
Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 474, Itaim Bibi, Tel. (11) 3079-4389.
Dry (bar revelação)
Rua Padre João Manuel, 700, Jardim Paulista, Tel. (11) 3729-6653.
Veloso (barman do ano – Souza)
Rua Conceição Veloso, 56, Vila Mariana, Tel. (11) 5572-0254.

19 setembro 2008

Entrevista com Ruy Faria

Ruy Faria é um dos grandes nomes da música popular brasileira, com passagens pelo tradicional MPB-4 e atualmente canta com o sambista Carlinhos Vergueiro.



Renato Galvão - Ruy, onde nasceu, teve alguma influência musical?
Ruy Faria - Nasci em Cambuci, no Rio de Janeiro. Minha mãe estudou piano e meu pai era segundo piston da Lyra da cidade. Ele dizia que era segundo porque só tinham dois.

Renato Galvão - Você sempre quis ser músico, mas teve outras funções, não é mesmo?
Ruy Faria - Descobri na escola. Cantava sempre nas festas de final de ano. E agradava, viu? Depois fui "crooner" de conjunto de dança. 

Renato Galvão - Se formou em direito, exerce a profissão de advogado ainda? 
Ruy Faria - Me formei em 1.964, abandonei e, em 2.007, voltei. 

Renato Galvão - O que o Trio Irakitan representa para você?
Ruy Faria - Muito, não só eles como todos os grupos vocais da época. Muito jovem, já participava de um Trio (o Geruan) Gerardo, Ruy e Anilde), na minha cidade.

Renato Galvão - Sua entrada para o CPC (Centro Popular de Cultura), foi decisivo para se tornar o que é hoje?
Ruy Faria - Sem dúvida. Fui convidado para participar e lá criamos um grupo musical que acabou sendo o embrião do MPB4.

Renato Galvão - Sua saída do MPB-4 foi tumultuada. O que ocorreu de fato?
Ruy Faria - Foi muito sofrida, meu caro. 

Renato Galvão - E a parceria com Carlinhos Vergueiro, quem juntou vocês dois? 
Ruy Faria - Foi o futebol, no campo do Chico. Nos identificamos com a ideia, gravamos um CD e estamos aí na estrada. 

Renato Galvão - A afinação entre você e Carlinhos Vergueiro é notável. Como conseguiram essa química? 
Ruy Faria - São seus ouvidos, meu caro! 

Renato Galvão - Como estão os shows, qual é o trabalho mais recente e por favor deixe o site e um telefone para shows. 
Ruy Faria - Os shows não acontecem com a frequência que eu gostaria, Renato, mas estão disponíveis, tudo lá na página www.ruyfaria.com.

18 setembro 2008

Que fome...

Agora vamos falar de restaurantes gostosos. O primeiro é o Famiglia Melilli que ficou famoso após passar por uma ampla reforma, que rendeu até a toca de nome, através do programa do Luciano Huck, na Rede Globo e pela intervenção do chefe e dono do DOM, Alex Atala. Antigamente chamada Donat’s, a casa hoje serve massas tradicionais, com molhos encorpados, em valores abaixo de R$20, em um canto muito charmoso da cidade. Rua Barão de Tatuí, 302, Santa Cecília, São Paulo, Tel. (11) 3826-5088.
Forneria San Paolo é um ambiente luxuoso, que pertencia ao empresário Rogério Fasano, dono do Fasano. Serve paninis saborosos, além de vinho servido na jarra. Rua Amauri, 319, Itaim Bibi, São Paulo, Tel. (11) 3078-0099.
Você que gosta de um bom bacalhau, eu sugiro o Ora Pois, em Mairiporã, que serve suculentos pratos com o nobre pescado, como a tradicional versão assada com batata, cenoura, regada ao azeite e para acompanhar vinhos portugueses. Estrada das Roseiras, 7.880, Mairiporã, SP, Tel. (11) 4485-0245.

15 setembro 2008

Guarulhos ganhará duas lojas do Magazine Luiza

Guarulhos, na Grande São Paulo é uma das regiões onde o Magazine Luiza será representado. Presente em setes estados brasileiros e muito forte no interior do estado de São Paulo, a rede pretende inaugurar até o fim do ano, 50 lojas na Grande São Paulo e Litoral. Em Guarulhos, as lojas ficarão na Rua Dom Pedro II, Centro da cidade e no famoso Internacional Shopping.
Para se ter uma idéia do gasto do Magazine Luiza, com campanhas publicitárias, esse número já chegou a R$60 milhões, incluso gastos com o apresentador Faustão, garoto-propaganda da marca.
Segundo a superintendente, Luiza Helena Trajano, nessa semana, a empresa dará uma coletiva divulgando seus endereços e datas de aberturas. Em 2.007, eles construíram um moderno centro de distribuição na rodovia dos Bandeirantes, com uma área total de 50 mil metros quadrados. O faturamento foi de R$2,6 bilhões, somando as 391 lojas em 311 cidades. A meta agora é investir R$150 milhões até 2.010, abrindo 120 lojas na Grande São Paulo.
(Diário de Guarulhos)

12 setembro 2008

Massimo

Massimo é um dos melhores restaurantes italianos do país. Aberto nos anos 70, a decoração ainda nos remete a essa época. As mesas são decoradas com um pequeno abajur e os garçons usam cravo na lapela do blazer. O dono é Massimo Ferrari, que hoje dificilmente vai lá, e um dos carros chefes do restaurante é o nhoque de ricota com molho de abóbora, e também a vitela ao tinto servida com polenta. As sobremesas são bem doces e cremosas, servidas em um carrinho que anda pelo espaço. O único problema da casa é que não se aceita cartões de crédito, que é uma falha grande para os dias de hoje. Prepare-se, pois não é difícil topar com o empresário Silvio Santos por lá, um dos clientes símbolos do local.
Alameda Santos, 1.826, Jardim Paulista, São Paulo, Tel. (11) 3284-0311.

08 setembro 2008

Eu não sabia que Olavo Setúbal foi prefeito de São Paulo

Olavo Setúbal faleceu no último dia 27, quarta-feira, e ao ler sobre sua vida, descobri coisas curiosas. Ele tinha 85 anos, se chamava Olavo Egydio Setúbal, era presidente do Conselho de Administração do Banco Itaú (dono) e da holding Itausa. Era um dos homens mais ricos do país, e foi prefeito de São Paulo, de 1.975 a 1.979 e também ministro de Relações Exteriores, no governo Sarney.
Hoje o Itaú é o segundo maior banco privado do país, perdendo somente para o Bradesco. Em qualquer rancho que você for, lá estará uma agência do Itaú. Dizem que ele foi um bom prefeito, pena que não pude comprovar.


Solteiros estão na mira dos negócios

As empresas estão mais atentas aos solteiros e pessoas que moram sozinhos. Segundo estudos, hoje existem no Brasil cerca de 6 milhões de pessoas que vivem dessa forma. Na última década esse número dobrou e até 2.016 deve subir para 12 milhões.
Para se ter uma idéia, nos Estados Unidos, 56% das americanas vivem sozinhas. Aqui no Brasil, o instituto de pesquisa Market Analysis, realizou um estudo com 1.100 pessoas que moram sós, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador e Brasília. A pesquisa apontou que 80% desse público é mais exigente em relação aos produtos e ao consumo.
A verdade é que quem é solteiro, geralmente tem mais dinheiro, pois sobra mais, é óbvio. Com isso, a exigência desse mesmo público aumenta, pois ele tam maior condição de procurar itens com melhor qualidade, e também preferem opções de tamanho, embalagem e estilo menor, pois são só eles e ninguém mais.

05 setembro 2008

O uso do colarinho branco

A expressão colarinho branco designa ações falcatruosas, feitas por pessoas ricas e de posição social. Não está vinculado a crimes, mas sim a apropriação de dinheiro indevido. Seria o que alguns políticos fazem. Daí surgiu o colarinho branco, mas uma coisa é certa, no mundo da moda, quando vemos uma camisa com colarinho branco, nos chama muito a atenção. Elas podem ter somente o colarinho branco, ou então terem colarinho e punhos brancos, contrastando com a outra cor da camisa. As mais clássicas são: azul claro e amarelo, porém, existem riscas e outras cores. O colarinho, assim como os punhos, são mais grossos que o tecido da camisa, o que gera ainda mais charme. Podem ser usadas com ternos, calças sociais, sarjas e caem muito bem em jeans. Vale algumas dicas: terno preto + camisa azul de colarinho e punhos brancos + sapato preto / camisa azul de colarinho branco e punhos brancos caseados com abotoaduras + calça jeans azul + sapato mocassim clássico havana + blazer azul marinho. A versão da foto é um exemplar esportivo, somente com colarinho branco.

04 setembro 2008

Novamente um almocinho gordo...

Hoje novamente fui ao Zaffari, e comprei mais umas guloseimas como dias atrás. Vejam no ticket, que a batata palito da Perdigão, que eu fiz assada, custou R$3,78, o tradicional nuggets da marca Da Granja, que também fiz assado, saiu por R$1,97. Aproveitei e comprei brocólis que estavam em um preço ótimo, da marca Grano, R$1,55 e uma grande cerveja, a uruguaia Patricia, de quase um litro e por R$5,99.
Os preços estavam ótimos, porém, para uma pessoa que ganha menos de R$1 mil, essa compra se tornaria praticamente impossível, pois nessa brincadeira que comemos em meia-hora, se foi R$14,84. Duro, não é mesmo?

A arte da boa gastronomia está no La Casserole

Desde 1.954, o La Casserole, encanta a todos no Centro de São Paulo. Local freqüentado por empresários, políticos, intelectuais, artistas entre outros, mantém a mesma decoração e fachada dos anos 50. A dona é Marie France Henry, que ainda hoje recepciona com muito carinho seus clientes.
A casa tem pratos que fazem muito sucesso como o cordeiro, o pato, a famosa sopa de cebola gratinada e o delicioso linguini com pedaços de bacalhau, azeitona, agrião, azeite de ervas e tomate cereja.
Largo do Arouche, 346, Centro, São Paulo, Tel. (11) 3331-6283.