28 dezembro 2007

Segundo Lula, 2.008 será um belo ano

O presidente Lula, em programa de rádio durante a semana, afirmou que o país terá um ano novo infinitamente melhor. Entre suas colocações, disse: ''eu vou continuar trabalhando de forma muito vigorosa para que o Brasil possa melhorar muito em 2.008''. Me engana que eu gosto!
Lula aproveitou a ocasião para falar novamente sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e dos seus R$504 bilhões, que serão muito bem investidos segundo ele, e recusou-se comentar sobre o rombo de R$40 bilhões, provocado pelo fim da CPMF.
Ele também ressaltou o crescimento do emprego com carteira assinada, que até 30 de novembro, chegou a quase 2 milhões. Aproveitou e garantiu que 2.008 terá mais empregos, graças aos investimentos das empresas e do dinheiro do PAC.
Lula também pediu aos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Paulo Bernardo, que façam até a metade janeiro, um plano econômico que reduza os gastos do Orçamento, ajustando os gastos da receita.
Uma das afirmações que mais me chamou a atenção, foi essa: ''quem está indo aos shopping, quem está indo a um lugar em que se vende muito, percebe que o povo pobre está comprando, está indo às compras. Significa o que? Significa que essas pessoas estão tendo ascensão na sua vida pessoal, estão fazendo parte do mercado, virando consumidores, o que é extremamente importante'', finalizou Lula.
Por esse comentário podemos medir a inteligência desse homem, ou melhor, a falta dela. As pessoas estão comprando mais (segundo os próprios lojistas), devido o aumento sem controle da população, e boa parte dos consumidores compram quinquilharias, coisas baratas e vulgares, muitas vezes até pirateada, o que explica o sucesso da 25 de março em São Paulo, e do Saara, no Rio de Janeiro. O povo compra porcaria, lixo, produtos piratas e o nosso ''ilustre'' presidente, vem dizer que o nível de vida da camada pobre melhorou.
Esse Lula já deu o que tinha que dar. Junto com Chávez e Evo, se misturarmos todos, dará algo bem descartável e com forte odor. Infelizmente, Lula ficará no comando do país até 2.010, e tomara que não se concretize seu terceiro mandato, pois eu temo por sua vitória.

Hugo Boss com tudo no Brasil

A luxuosa marca alemã Hugo Boss, está com planos ousados de expansão no país. A rede que fechou algumas unidades em São Paulo, como nos shoppings
Eldorado, Paulista, Rua Haddock Lobo e PraiaMar shopping em Santos, voltará com lojas em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, e até 2.010 serão inauguradas mais 10 lojas.
Segundo Jacob Bjerregaard, diretor-geral da Hugo Boss para a América Latina, o Brasil deverá representar até 2.010, 25% do mercado da marca na região. Isso se deve ao crescimento do segmento de luxo no país. Hoje, a Hugo Boss é controlada totalmente pela matriz, diferentemente do tempo que era gerenciada pelo sistemas de franquias. Aliás, a empresa recebeu alguns processos judiciais de ex-franqueados.
A Hugo Boss chegou a ter 20 lojas no país. Hoje, existem somente duas unidades, e ambas em São Paulo. Uma no shopping Iguatemi e outra na Daslu, referências luxuosas na cidade. Segundo a diretoria da Hugo Boss, a empresa não fabricará mais sua linha de produtos no país, pois isso gera um aumento considerável para o consumidor. Uma das novidades da marca no país, é que a linha feminina deve chegar junta a essa nova fase. Fico muito feliz que a Hugo Boss retornará ao Brasil com força, pois é uma bela marca, com produtos lindíssimos e de qualidade excepcional. É uma roupa que você vê, e baba, desculpe o termo.

26 dezembro 2007

Buckman

Buckman é referência em moda masculina. Chamada também de BCK, trata seus clientes com mimos, inclusive enviando encartes promocionais a eles, em suas casas.
Conta com lojas em São Paulo, no interior do estado, e também está presente em Belo Horizonte e Brasília. Eu freqüento as lojas West Plaza e Alphashopping, em Barueri, cidade vizinha a São Paulo.
Na Buckman podemos encontrar: t-shirts básicas ou com estampas variadas, pólos de dois ou três botões, com abertura lateral, jeans de vários padrões, inclusive alguns bem modernos, com várias lavagens, calças de sarja e social, exclusivas da alfaiataria Buckman, além de ótimos ternos e costumes, de cortes modernos e padrões clássicos como o marinho e o risca-de-gíz. Para compor o visual, gravatas de seda e camisas 100% algodão, das mais variadas cores e diferentes colarinhos.
Faz sucesso a coleção outono-inverno, com jaquetas e blazers de couro, com preço baixo para os clientes. Toda linha de acessórios também é possível achar na Buckman. Cintos, malas, nécessaire, carteiras, tênis e sapatos. Aliás, os sapatos e botas da Buckman, são um arraso. Vários modelos, com preços a partir de R$99,90. Tem bico fino, quadrado, de fivela, cromado, botas com zíper, mocassim e muito mais.
As lojas Buckman são lindas, claras, com um belo som ao fundo, e conta com uma equipe selecionada, que prestam um ótimo atendimento ao cliente. Os vendedores podem ser tanto homens, quanto mulheres, e uma particularidade é que eles te acompanham até a porta, quando a compra é feita. Para maiores informações, passo os telefones de algumas lojas Buckman em São Paulo.
Morumbi shopping, Tel. (11) 5182-9015.
Center Norte, Tel. (11) 6221-1844.

Villa Lobos, Tel. (11) 3024-3885.

21 dezembro 2007

Grill Hall

Uma das churrascarias mais tradicionais de São Paulo, é a Grill Hall, conhecida também como Prazeres da Carne. A mesma é charmosa, suntuosa e sempre badalada.

Possui um belo lounge, com american bar, telão de vídeo e um cyber para acesso a internet. Já virou tradição na cidade, seu happy hour, de segunda a sexta-feira, com vários drinks e aperitivos.

A quantidade de carnes é grande, com os melhores cortes possíveis. Ainda há uma grande variedade de saladas, além dos tradicionais pratos quentes, no buffet.

Eu destaco as alcachofras, aspargos brancos e a deliciosa mussarela de búfala.

Serviço:
Rua Pedro de Toledo, 1.361, Vila Clementino, São Paulo, SP, Tel. (11) 5572-0018 - www.grillhall.com.br

Brasil sobe uma posição na economia mundial

Nessa semana, de acordo com o ranking do Banco Mundial, o Brasil passou da 7a para a 6a colocação na economia mundial. O estudo também revelou que o país concentra metade da economia de toda América do Sul. Hoje, o país representa 3% do PIB mundial. Esses números foram conseguidos, devido o poder de compra, que representa os valores das moedas locais.
A China é o segundo no ranking. O país ganhou destaque nos últimos tempos, devido o grande número de mercadorias produzido no país, e comercializado em países desenvolvidos.
Outro estudo revelou os países líderes da renda per capita. Luxemburgo, pequeno país próximo a Holanda, é o líder, seguido por Qatar, Noruega, Brunei e Kuwait. Os últimos da lista são os periféricos Congo, Libéria, Burundi, Zimbábue e Guiné-Bissau.
Na verdade, esse estudo revela uma parte do país, um certo Brasil, que é mais desenvolvido. A outra parte ficou no ostracismo, obscura. Algumas regiões do país são tão pobres quanto a Libéria, Burundi e outros países que ficaram na parte final da pesquisa.
(Gazeta)

18 dezembro 2007

Bally Camisaria

Bally Camisaria é uma das lojas de moda masculina mais tradicionais do Centro de São Paulo. Antiga, resistiu a decadência que a região sofreu nos anos 70 e 80 e ainda hoje, comercializa camisas, calças, ternos, jaquetas, gravatas e outros acessórios como cintos, suspensórios, lenços, prendedores de gravatas, abotoaduras, meias e cuecas.
Eles trabalham com sua marca própria, que é a Bally, e ainda com as tradicionais Giorgio Biazzi e Pierre Cardin. O carro-chefe da casa são as camisas. Todos os tipos: poliéster, algodão, panamá e seda. As de panamá são ótimas, tem um belo caimento, é um tecido encorpado, porém muito gostoso para ser usado no verão. As de seda são lindas. Hoje em dia é difícil encontrar uma bela camisa de seda com estampas fortes. Na Bally, você encontra as versões de seda tanto com manga curta, quanto comprida, e padronagens exclusivas, como o preto com branco, o amarelo com preto e muito mais. É um charme só. Para quem gosta de calça social branca, a Bally é o local certo. Elas são perfeitas com sapatos marrom ou havana, junto com as camisas de seda estampadas.
Lá ainda podemos encontrar camisetas e pólos bacanas, inclusive da Pierre Cardin, e qualquer ajusta que precisa ser feito em um terno, eles fazem sem problema e sem custo adicional, o que é muito importante hoje em dia. Está esperando o que para passar na Bally e sair com a sacola cheia de compras?
Rua Dom José de Barros, 147, Centro, São Paulo, Tel. (11) 3255-0287 ou 3257-3474.

13 dezembro 2007

Entrevista com Fabio Arruda

Fabio Arruda é conhecido por todos. Presença certa na televisão, Fabio dá dicas de comportamento, moda e principalmente sobre etiqueta. Seu escritório atua em empresas, dando o treinamento necessário para que os funcionários aprendam a ter boas maneiras na mesa.

Renato Galvão – Fabio, você é de São Paulo ou do Rio de Janeiro, atualmente vive onde?
Fabio Arruda – Nasci no Rio, mas cresci em São Paulo, onde continuo vivendo.


Renato Galvão – Você lida com boas maneiras, etiqueta, moda, arquitetura. Sua formação qual é?
Fabio Arruda – Estudei administração de empresas nos Estados Unidos, mas segui o caminho da decoração. A etiqueta veio em decorrência de um casamento famoso que realizei e daí a televisâo entrou com força total na minha vida profissional.

Renato Galvão – Sempre quis trabalhar com isso?
Fabio Arruda – Não imaginava, mas adoro o que faço.


Renato Galvão – Você também é promoter?
Fabio Arruda – Eventualmente organizo eventos, mas não posso me intitular promoter.

Renato Galvão – Tem alguma peça que não entra em seu armário?
Fabio Arruda – Camiseta regata.

Renato Galvão – É gafe ir a um restaurante tradicional, escolher um belo vinho e pedir ao garçom para gelá-lo bem? E estourar champagne ou espumante é errado?
Fabio Arruda – Se lhe der prazer gelado, peça. Os enólogos vão se arrepiar, mas não é um pecado. Estourar fazendo escândalo ou exagero só no pódio da F1.

Renato Galvão – Na sua opinião, o brasileiro ainda tem muito a aprender sobre regras de boas maneiras e etiqueta?
Fabio Arruda – A maioria das pessoas tem muito o que aprender e se aperfeiçoar, mas não só brasileiros.

Renato Galvão – Certa ocasião, estava com alguns amigos saboreando um belo fondue de queijo. Tinha um rapaz que era obeso, e que tinha muita fome. Ele colocava dois pedacinhos de pães, direto com o fondue e comia de forma voraz, com muita pressa. O que você recomendaria a pessoas que tem um apetite fora do comum, antes de enfrentarem uma opção dessas?
Fabio Arruda – O fondue é para apreciar, saborear, mas não matar a fome exagerada. Se é o caso, deve se comer algo antes.

Renato Galvão – O que podemos comer com as mãos, em um restaurante?
Fabio Arruda – Ostras e mariscos, por exemplo.

Renato Galvão – Essa situação seria melhor visualmente, mas queria que você falasse sobre os talheres e pratos certos em restaurantes finos, qual refeição devemos comer primeiro, o que vai bem com o que etc.
Fabio Arruda – A regra dos talheres, se houver vários, é usa-los de fora para dentro. Entradas leves, saladas e sopas são servidas antes. Depois as massas e aí carnes, peixes e aves.


Renato Galvão – Seu escritório tem quais empresas como clientes e você faz palestras nessas instituições?
Fabio Arruda – São muitas, mas posso citar a Avon, a Daslu, diversos bancos, são muitas mesmo.

Renato Galvão – Você já sentiu algum preconceito em relação ao seu trabalho?
Fabio Arruda – Nunca. Por que existiria? Se alguem não concorda continue sendo despreparado e menos educado.

Renato Galvão – Quais programas de televisão já fez, e atualmente está em algum?
Fabio Arruda – Já participei de muitos, praticamente todos os que estão no ar. Hoje estou com Ronnie Von no ''Todo seu'', na Rede Gazeta.

Renato Galvão – Finalizando, gostaria que você deixasse seu site, comentasse um pouco sobre seus livros, que estão fazendo muito sucesso, e muito obrigado pela entrevista.
Fabio Arruda – O site é
www.fabioarruda.com.br e os livros: Sempre às vezes Nunca na décima edição e o Chique & Útil na terceira, os dois pela Ed. ARX da Siciliano. Em 2008 teremos o terceiro. Um grande abraço.
Esses são os livros do Fabio, compre, pois vale a pena

América do Sul cria o Banco do Sul

Esses dias, seis presidentes sul-americanos assinaram a criação do Banco del Sur (Banco do Sul), que será uma espécie de Banco Mundial da região. O dinheiro do banco será destinado a obras, principalmente estradas e gasodutos.
Porém, nenhum dos governantes sabem o capital ao que seu país tem direito e o que fazer com ele.
Essa reunião, ocorreu dia 10, na Casa Rosada, sede do governo argentino, e foi chefiada por Nestor Kirchner, que passou o comando do país para sua mulher Cristina Kirchner, justamente no dia dessa cerimônia.
Faz parte desse banco os seguintes países: Argentina, Brasil, Bolívia, Equador, Paraguai, Venezuela e Uruguai. Só não participou do vento, Tabaré Vázques, presidente uruguaio, que não se dá bem com Nestor, devido uma briga sobre a instalação de uma fábrica de celulose na fronteira de seus países.
O ‘’lixão’’ da Venezuela, Hugo Chávez, e o presidente do Equador, Rafael Correa,
querem que o banco, faça com que os países da América do Sul, parem de depender do FMI. Já o nosso inútil presidente, quer que esse banco, seja um novo BNDES.
Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o Banco do Sul não tem nenhuma relação com o FMI. Servirá como um banco de crédito, do mesmo modo dos já existentes Banco Mundial e Banco Interamericano de Desenvolvimento. Porém, a grande sacada do negócio, é o fato da América do Sul controlar toda a ação desse banco. O tal de Lula, afirmou: ''Este será o primeiro banco realmente controlado pelos países do continente''.
O imbecil Hugo Chávez, aproveitou o evento e novamente se mostrou. Disse que a América do Sul, só cresce, e ainda chamou Lula de ''xeique da Amazônia'', por causa das reservas de gás encontradas na costa brasileira. Também falou sobre a criação de uma central de petróleo na região, a Petrosur.
Na verdade, com governos amadores como os da América do Sul, especialmente no caso do Brasil, Venezuela e Bolívia, é difícil acreditar em alguma coisa que esses calhordas falam. Lula é um inculto, Chávez é um ditador e Evo é um falso.
(Estadão)

Propaganda de cerveja aumentará no verão

O verão vai começar em breve, e as cervejarias rezam para isso acontecer o mais rápido possível, afinal trata-se do período em que elas vendem, 40% do que foi produzido ao longo do ano.
Por cauda das altas temperaturas, festas de fim de ano e carnaval, o consumo de cervejas realmente dispara. Nesse ano, o consumo ultrapassará 10 bilhões de litros. Enquanto isso, as maiores cervejarias do país: Ambev, Schincariol, Petrópolis e Femsa, começam suas ações de marketing, e seus comerciais contam com belas mulheres, rapazes bonitos, sol e mar. Segundo Ricardo Moricci, diretor de marketing da Femsa, a campanha publicitária para cervejas deve ser maciça. Ele afirma: ''dois ou três meses fora da mídia podem acarretar perda de até 3% de participação em vendas''.
A Schincariol até o momento é a que mais está investindo. Sua agencia é a Young & Rubicam, de Roberto Justus, que já está cuidando da publicidade da empresa. A cervejaria de Itu, também será a comandante no carnaval do Rio, Recife, Olinda e Salvador.
A Antarctica continuará com a mesma propaganda, protagonizada pela atriz Juliana Paes, e seu ''bar''. A Skol prepara novos comerciais, e a empresa investirá em campanhas, gincanas e promoções nas orlas marítimas de todo o Brasil, especialmente no Rio de Janeiro. A Brahma terá como maior ação de marketing durante o verão, o seu tradicional camarote no carnaval do Rio, com a presença de empresários, artistas e endinheirados no geral. A fraca Kaiser continuará contando com o lendário baixinho e seu ''charme irresistível''.
Na verdade, chegou o ápice para as cervejarias. Elas vão arrebentar de tanto vender. Quanto as propagandas utilizadas a receita é sempre a mesma. Mulheres bonitas de biquínis, homens fortes jogando futevôlei, clima de paquera e tudo isso regado a muita cerveja.
Se você está pensando que a realidade é essa, prepare-se para quebrar a cara. Na praia veremos muita gente feia, bêbada e muitas baixarias em geral, diferentemente das propagandas da Schincariol e de qualquer outra cervejaria.
(Estadão)

10 dezembro 2007

Friboi chega na Europa

O Friboi é o maior frigorífico de abates bovinos do mundo. Para ficar ainda maior, semana passada, foi anunciada a compra de 50% da Inalca, maior empresa de carne bovina na Itália. Essa compra inclui a própria Inalca e a Montana, que controla alimentos prontos.
A compra custou E225 milhões, e o Friboi no contrato, já deixou claro, que quer preferência, caso a Inalca venda a outra metade do grupo. Nesse ano, o Friboi já comprou a Swift Foods & Company e a Col Car S.A. Com todas essas compras, a marca atinge a marca de 50 mil abates de animais ao dia, e a marca ainda chega na Europa, além de atuar nos Estados Unidos, Argentina, Austrália e Brasil.
A Inalca faturou em 2.006, E932 milhões, e possui seis fábricas na Itália, e mais nove pela Europa. Já a Montava alimentos, faturou no ano passado, E168,3 milhões, possui quatro fábricas na Itália e seu mercado é de embutidos, comida pronta e snacks.
(Estadão)

A composição de Johnnie Walker Black Label


Johnnie Walker Black Label, é em sua categoria o scotch mais vendido do mundo. 

Black é 12 anos, e é composto principalmente de água, cevada e trigo. 

Sofre influência da turfa, do fermento e é claro, dos barris de carvalhos, onde é envelhecido. 

Black Label é a união de 40 single malts e whiskies de grãos, junto com quatro aromas: creme de baunilha, frutas frescas, frutas encorpadas e aromas da terra. 

O aroma de creme de baunilha, é leve e suave, com sabor levemente adocicado. Frutas frescas, tem gosto de turfa, malte e fruta, principalmente maça e pêra. Frutas encorpadas, nos dá o sabor da doçura das frutas cristalizadas e das nozes, com toque mais seco no final. 

Os sabores dos aromas da terra, é quente, picante e seu final é longo e defumado, com jeito medicinal e gosto de fumaça. 

Todas essas composições compreendem Johnnie Walker Black Label, um dos whiskys mais famosos do mundo.

Rede Plaza pode ser vendida

A rede Plaza, retentora dos shoppings Paulista, West Plaza e Pátio Higienópolis em São Paulo, e do Botafogo, no Rio de Janeiro, está praticamente vendida para a Brascan, por cerca de R$1 bilhão.
A Brascan está presente no Brasil há 105 anos. É um grupo de investidores canadenses, que aplica em diversos setores da economia. Ao todo, a empresa administra US$90 bilhões no mundo todo.
Aqui sua atuação se corresponde aos imóveis, agricultura, mineração, finanças e setor de energia. Entre suas empresas, ela já comandou a Light. No ramo dos centros comerciais, a Brascan já possui uma participação. A empresa é dona do Rio Sul, o shopping mais idoso do Rio de Janeiro. Comprando a rede Plaza, um desafio já existe. Fazer com que o West Plaza, na Água Branca, em São Paulo, renasça e volte a viver o bom momento, de seus primeiros anos. O shopping é de 1.991, está velho e durante toda essa época, pouco se modernizou. Hoje, muitas lojas estão fechadas, e para agravar a situação, em fevereiro ou março de 2.008, ganhará um concorrente a 300 metros de distância, que é o shopping Bourbon Pompéia, que contará com várias lojas renomadas e ainda um hipermercado, o Zaffari, uma famosa rede gaúcha.
A rede Plaza é muito boa. O Pátio Higienópolis é lindo, confortável, luxuoso e requintado como o bairro, em que está situado. O Pátio Paulista é muito bom, com bastante lojas, está ficando mais luxuoso com essa nova reforma e está em um dos corações da cidade, que é a Avenida Paulista. O West Plaza é mais simples, possui uma clientela mais popular, porém também conta com boas lojas em seus corredores, e creio que essas reformas tanto no Paulista quanto no West Plaza, já devem ser decorrente a compra da Brascan.
(Estadão)

Carrefour investirá R$3 bilhões até 2.010 no Brasil

O Carrefour investirá cerca de R$1 bilhão por ano em nosso país, até 2.010. Esse é um plano de expansão das lojas, e quem fez o anúncio audacioso foi o próprio Jean Marc-Pueyo, diretor-superintendente da rede no Brasil, na inauguração da nova loja em Brasília.
Esse ano o Carrefour irá faturar algo em torno de R$20 bilhões, bem acima da margem do ano passado, que foi R$12,9 bilhões. Esse aumento de ganho, se deve principalmente a aquisição do atacadista Atacadão. A meta do Carrefour é inaugurar 70 lojas em 2.008. Já os concorrentes Wal-Mart e Pão de Açúcar também investiram no próximo ano. A rede norte-americana abrirá cerca de 36 lojas no Brasil e ainda um grande centro de distribuição. Já o Pão de Açúcar também deve inaugurar novas lojas no país.
Boa parte das lojas que o Carrefour abrirá no ano que vem, serão do supermercado Dia, que é a rede popular da empresa. Somente 20 unidades serão divididas entre Carrefour e Atacadão. O Brasil é para o Carrefour, o terceiro mercado consumidor, perdendo apenas para França e Espanha. O Brasil também está em terceiro no número de empregos. A rede francesa emprega no Brasil 55 mil funcionários, e cerca de 40% do rendimento deles, vem do cartão Carrefour. Outras novidades são a clientela, onde o público das classes C e D cresceu cerca de 10%, e a área de informática que cresce diariamente.
É o Carrefour, ''suando a camisa'', para se manter na frente do Pão de Açúcar, Wal-Mart e Cencosud.
(Estadão)

06 dezembro 2007

Bar Geni

Em um antigo casarão está instalado o Bar Geni. Badalado, o público é jovem, e o happy-hour faz parte da casa.
O cardápio é ótimo. Petiscos, saladas e massas fazem o sucesso do local, assim como os drinks. A música faz parte do recinto, de segunda a sábado, com shows de jazz, blues, mpb, soul e até o samba-rock. Experimente o bolinho de bacalhau, o caldinho de feijão, e segundo espeecialistas o chopp da casa é muito bom.
Rua Bela Cintra, 539, Consolação, São Paulo, Tel. (11) 3129-9638.

05 dezembro 2007

Isso que é sapato!

Os sapatos dizem muito sobre um homem. Hoje um sapato decente custa no mínimo R$79,90. Abaixo disso, desconfie da qualidade. Um bom sapato social para os homens, deve ser 100% couro. O da foto é um belo par, na cor Mouro e também está disponível em todas as lojas Fascar. Essa versão é de pelica, que é um couro sensível, molinho e extremamente confortável, feito para homens nobres. O solado de um bom sapato, também é de couro, embora hoje temos muitas inovações com solado de gel ou de borracha, mas o solado de couro é sempre mais elegante.
Esse belo sapato, pode ser usado com calça de sarja, de vários tons: gelo, creme e azul marinho. O uso está liberado também para os ternos, especialmente para os modelos nos tons: creme, bege, areia, azul marinho, e até branco, caso você tenha responsabilidade para usar um terno branco. Se eu você fosse, já passaria na Fascar mais próxima e levaria esse belo sapato, sem esquecer do cinto é claro.

Rosmarino Restaurante

Um dos melhores restaurantes de São Paulo. Especializado na culinária italiana, o Rosmarino se tornou referência na cidade. No almoço, eles trabalham com o sistema de bufê, e nas noites o cardápio é a là carte. Para você que aprecia vinhos, o Rosmarino conta com ema grande variedade em sua carta, com preços semelhantes aos das importadoras.
Um prato delicioso é o presunto de San Danielle com girissini e melão orange. As polentas que eles servem são ótimas, algumas como ossobuco, e outro prato divino é o camarão ao molho de manga, com risoto de grãos, castanhas e ervas, por R$59.
Rua Henrique Monteiro, 44, Pinheiros, São Paulo, Tel. (11) 3819-3897.

04 dezembro 2007

Academia da Gula

Um belo botequim, comandado pela portuguesa Rosa Brito. Ela trouxe de lá, petiscos saborosos, como a punheta (bacalhau cru desfiado e temperadi com aceite e cebola), nas versões meia e inteira. Como é um boteco de origem portuguesa, o tradicional bolinho de bacalhau, não poderia faltar, e seu custo é de R$16, a porção com 12 unidades. Ainda é possível encontrar vários pratos com bacalhau, outras porções, carnes e deliciosas sobremesas.
Rua Caravelas, 374, Vila Mariana, São Paulo, Tel. (11) 5572-2571.

Mercado luxuoso cresce como nunca no Brasil

Em 2.006, o Brasil faturou E1 bilhão, no mercado luxuoso, que envolve grandes joalherias e butiques. Em menos de um ano, segundo a consultoria americana Bain & Company, o país cresceu 35% em relação ao ano anterior. Outros países emergentes como China e índia, também cresceram se comparadas ao período de um ano, respectivamente 30% e 25%.
Para especialistas do mercado, esse crescimento é apontado pela economia estável e o enriquecimento da camada mais privilegiada.
Os acessórios são os produtos que mais crescem no mundo, cerca de 15% maior em relação ao ano passado e retrasado. Entre os acessórios estão as jóias, sapatos, bolsas e relógios.
No país, realmente é evidente esse comércio do luxo. Em São Paulo, temos os shoppings Iguatemi, Morumbi, Market Place, Jardim Sul, Ibirapuera, Pátio Higienópolis e Anália Franco, e a região de rua, que compreende os Jardins, com a famosa Oscar Freire, e suas adjacências.
Nesses locais temos joalherias de nível A, como a Tiffany & Co (foto), Cartier, Natan, sapatarias como Bally, Busso, bolsas Louis Vuitton, relógios Mont Blanc, e grifes caríssimas como Carmin, Diesel, Paul & Shark, Petulan, Calvin Klein, Empório Armani entre outras.É um mercado crescente, mas para o consumidor de alta renda.

Schincariol investirá pesado em 2.008

A Schincariol investirá no Brasil, no ano que vem, cerca de R$1 bilhão. Esse ano a empresa deve fechar seu faturamento, cerca de 20% a mais do que no ano passado. Em 2.006 a Schincariol faturou R$3,6 bilhões, e esse ano esse número deve ir para R$4,5 bilhões.
A empresa expande a cada dia. Com fábricas no Nordeste, seu crescimento é grande, nesse próprio mercado.
Hoje a Schincariol possui 11,8% do mercado nacional de cervejas, com as marcas Nova Schin, Primus, Devassa e Baden Baden. A liderança é da Ambev, com 68,3% de mercado e as marcas Skol, Brahma, Antarctica e Bohemia.
Atrás da Schincariol, temos a Petrópolis, com 8,4% de participação e as marcas Itaipava e Crystal, e com 7,5% de mercado, a mexicana Femsa, com Kaiser, Bavária e Sol.
A Schincariol tem uma meta de abrir mais duas fábricas, uma no Ceará e outra na região Centro-Oeste.
A empresa estava na mira da SABMiller, mas o atual presidente da empresa, Fernando Terni, desconhece a oferta, mas diz que a família Schincariol fica orgulhosa de receber ofertas de compra, porém não querem vender a empresa no momento.
Que coisa, hein. Me lembro, quando criança, a Schincariol era sinônimo de piada entre os brasileiros, diziam que sua cerveja parecia ''mijo de macaco'', e hoje é uma das empresas que mais crescem no país.
(Estadão)

No Brasil, metade das empresas quebram antes do 8o aniversário

Em pesquisa recente feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), apenas 50% das empresas criadas em 1.997, ainda existem.
A pesquisa ainda revelou que 2,9% das empresas, fazem 30 anos ou mais. Para o ex-secretário de política econômica do Ministério da Fazenda, Julio Sergio Gomes de Almeida, as oscilações da economia brasileira contribui para a falência das empresas.
Entre as empresas antigas, que estão com mais de 30 anos de idade, 53,37% delas, são comerciais, 17,66% da indústria, e 8,11% empresas alimentícias. É bom ressaltar que empresas antigas também quebram como o hipermercado Eldorado, ou são compradas, coisa que ocorre diariamente.
(Estadão)